Grupo Dom Bosco: A conversão da Rússia - Dom Williamson

sexta-feira, 21 de março de 2014

A conversão da Rússia - Dom Williamson


Um impressionante mas possível plano do Céu para o mundo de hoje pode ser imaginado, se o Cristianismo Ortodoxo estiver renascendo na Rússia da maneira descrita para mim por um russo em Londres há alguns dias. Sua descrição corresponde à impressão trazida da Rússia por um amigo americano que visitou São Petersburgo alguns anos atrás. o Russo médio distintamente tem mais substância espiritual em si do que tem o espiritualmente devastado Ocidental médio. Como isso se liga a Nossa Senhora de Fátima...?

O Russo em Londres contou-me que a Igreja Ortodoxa na Rússia está mais seguindo que liderando um renascimento da Ortodoxia entre o povo. A freqüência à liturgia ortodoxa aumentou pela metade ao longo dos últimos dois anos, agora 80% dos russos denominam-se, ao menos, ortodoxos, ou seja, crentes. Novas paróquias brotam por toda parte. Bíblias são agarradas tão logo estejam à venda. A literatura religiosa floresce, enquanto a propaganda ateísta morre. A "Rússia Sagrada" ergue-se da tumba onde o Comunismo de 1917 a 1989 esforçou-se para enterrá-la.

Pois quando as estruturas Comunistas do "Império do Mal" Soviético (Pres. Reagan) desabaram em 1989, os russos voltaram-se a uma ideologia para substituir o Comunismo, mas não no Liberalismo Ocidental, mas nas suas raízes nacionais e religiosas da Ortodoxia Russa. O que, de fato, tinha o Ocidente para oferecer às novas necessidades russas dos anos 90? Em economia, o saque de suas riquezas por abutres capitalistas; em política, o atual cerco de suas fronteiras para garantir hegemonia global permanente por parte dos Estados Unidos através da construção de um círculo de bases militares que são uma, senão a verdadeira, razão das desastrosas ocupações do Iraque e do Afeganistão nunca chegarem a um fim; em religião, o impulso tentado no rumo do ecumenismo Conciliar, com o qual aparentemente o clero Russo não tem nada a tratar - pelo contrário, estão cientes do movimento Tradicional Católico e o apoiam.

Entretanto, não tenhamos ilusões: A Ortodoxia Russa une religião e patriotismo em uma mistura não inteiramente boa; e a Igreja Ortodoxa continua cismática por recusarem a Supremacia Papal e herética por recusar vários dogmas, então os Russos precisam ser convertidos à Igreja verdadeiramente Universal (Católica). Mas se Nossa Senhora de Fátima especificou o país deles para a Consagração a seu Coração, não será, não por que os Russos continuam a ser malvados comunistas, mas porque os enormes sofrimentos do povo Russo de seus 70 anos de cativeiro da Babilônia comunista estão invocando das profundezas sempre religiosas da "Rússia Sagrada" um levante de vitalidade espiritual que poderia salvar a Igreja, presentemente enfraquecendo o Ocidente, onde a autoridade ainda tem muitos números mas pouca Fé, enquanto que os tradicionais remanescentes têm a verdadeira Fé, mas de longe muito menos fiéis e muito menos Autoridade? Deus sabe como a Igreja Ocidental precisa de conversão!

Será que uma futura ruptura ao cerco da Rússia numa Terceira Guerra Mundial levaria à ocupação da Europa, o que afinal levaria o Papa Romano a consagrar Rússia ao Coração Imaculado de Nossa Senhora, o que ela por tanto tempo vem pedindo em vão? Virá nesse momento o renovado vigor religioso dos Russos salvar nossas enlanguescidas Autoridade e Tradição Católica, cuja Verdade irá, por sua vez, limpar seus erros? Se for assim, então Deus terá uma vez mais "encerrado a todos esses homens na desobediência para usar com todos de misericórdia (...) Quem pode compreender o pensamento e os caminhos do Senhor? A ele seja a Glória para sempre" (Rom. 11, 32-36).

Católicos, majoritários ou da Tradição, rezem em seus corações pela Consagração de Rússia ao Coração Doloroso e Imaculado da Mãe de Deus, ou "Theotokos" como ela é conhecida na Igreja Oriental.

Kyrie Eleison

Nenhum comentário:

Postar um comentário