Grupo Dom Bosco: Sermão da Festa de Nossa Senhora de Guadalupe (12/XII/13) - Pe. René Trincado

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Sermão da Festa de Nossa Senhora de Guadalupe (12/XII/13) - Pe. René Trincado


Um grande sinal apareceu no céu: uma Mulher, vestida de Sol, com a luz debaixo de seus pés, e com uma coroa de doze estrelas sobre sua cabeça. (Apoc. XII, 1-2)

Quem é esta que sobe qual aurora nascente, bela como a lua, brilhante com o sol, imponente como um exército em ordem de batalha? (Cant. VI, 10)

Com profundidade e erudição, nos dizia acerca do acontecimento guadalupense, fazem poucos dias, um fiel da Resistência da Cidade do México (dom Luis de Guerrero Osio), que três caravelas e uma só viagem houve no descobrimento da América, como são Três as Pessoas Divinas e um Único Deus. “Pinta la Niña Santa Maria”* é a única frase que se compõe com o nome dessas três naves, patente profecia do que o Céu havia disposto para ter lugar em Tepeyac, pouco depois, em 1531.

Cristóforo (Cristobal) Colombo é o nome do descobridor. Cristóforo significa portador de Cristo, Colombo significa palomo: profético novamente, pois esse homem fez possível que os abençoados espanhóis trouxessem o Espírito Santo para a evangelização de nossos povos indígenas. E conhecereis a verdade e a verdade vos fará livres (Jn VIII, 32): a verdadeira fé devia libertar a esses povos arraigada, tremendamente amarga e duríssima escravidão do demônio, e submetê-los ao jugo suave de Cristo.

Depois de começar a ser pintada esta “Niña”, pelos pregadores, nas almas dos índios, e a quase quarenta anos da chegada de Colón naquele 12 de Outubro, o 12 de Dezembro de 1531 sucedeu o portentoso milagre que marcaria a história do México, da América, e da Igreja Católica para sempre: a “Niña” Virgem Mãe foi pintada pelo mesmo Deus ayate* de Juan Diego. A partir desse momento, as conversões dos indígenas se multiplicaram de modo totalmente extraordinário. A Mãe de Deus tomava possessão da América para seu Divino Filho.

Em 1541 escreve o missionário franciscano frei Toribio de Benavente, que a dez anos da aparição de N. Senhora de Guadalupe, já eram ao redor de nove milhões de aztecas batizados e que ele pessoalmente havia batizado uns 300.000. Graças a Nossa Senhora, a história das conversões ao cristianismo no México é a mais grandiosa e espetacular da história cristã e por isso o historiador Bernal Diaz Del Castillo, soldado e companheiro de Hernan Cortés, escreveu em seu livro “Historia Verdadera de La Conquista de La Nueva España” (1560), que o triunfo dos conquistadores se deveu à graça e ajuda da Virgem da Guadalupe.

Esta imagem de origem divina é a presença mariana mais importante na história do mundo depois da Assunção de Maria Santíssima aos Céus. A imagem de Nossa Senhora de Guadalupe é um milagre permanente. E se pode falar não de um, senão de muitos milagres que simultaneamente se dão neste ayate. A ciência, através de diversos estudos químicos, oftalmológicos, estudiosos em computação ou em outros ramos do saber, nos fala das maravilhas de seus olhos, que se comportam como se pertencessem a um corpo vivo, e da luminosidade e brilho da imagem original que parece ter sido pintada faz uma semana, ainda que não foi pintada, estritamente falando, pois os pigmentos da imagem não pertencem ao reino mineral, vegetal nem animal.

A enumeração de tudo o extraordinário que foi descoberto nessa tela seria muito grandioso para se fazer. Só destacaremos algo sobre a matéria do ayate: uma das coisas que mais chama a atenção dos estudiosos, é a milagrosa conservação do tecido da túnica de Juan Diego na que se imprimiu a imagem da Virgem. Normalmente essa classe de tela se desintegra em uns 20 anos e, sem dúvida, até agora, havendo já transcorridos 482 anos, segue sem desintegrar-se nem decompor-se, havendo ficado durante 116 anos sem proteção de cristais e exposta à fumaça de milhares de velas, havendo sido tocada por mãos de milhares de indígenas e tendo ficado sobre uma parede úmida. Ainda mais tem esta qualidade maravilhosa e inexplicável: é refrataria ao pó e à umidade e no tecido nunca aparecem insetos que possam causar danos e jamais teve fungos. E além disso, durante tantos anos, milhões de objetos piedosos tocaram diretamente a imagem sem produzir dano. Os doutores mexicanos Sodi e Palacios, depois de estudar a imagem concluíram:

“1. Cientificamente não se pode explicar a conservação do ayate de Juan Diego.
2. Cientificamente não se pode esclarecer porque não desgrudaram nem descoloriram as cores.
3. Cientificamente não se pode entender porque não foi destruído o ayate feito com fibras de maguey quando lhe caiu acido nítrico e se efetuou a reação xantoproteica.
4. Cientificamente é incompreensível porque o ayate não sofreu dano algum no atentado de dinamite de 14 de Novembro de 1921.
5. Cientificamente não se explica porque não se encontram colorante vegetais, minerais ou animais nas fibras do ayate.
6. Cientificamente não se pôde explicar porque o ayate de Juan Diego recusa os insetos e o pó suspenso no ar”.


Cientificamente nada disto se explica, porque estamos ante uma imagem feita por Deus: estamos ante o retrato que Deus pintou de sua Mãe.

Estimados fiéis: México é abençoado do Céu porque só neste país existe esta portentosa presença da Santíssima Virgem. Para compreender o sentido deste grandíssimo milagre e desta imensa misericórdia de Deus com os mexicanos, ouçamos hoje, uma vez mais, o que disse Nossa Senhora de Guadalupe a Juan Diego, e, nele, a cada um de nós:

Desejo que se me construa aqui um templo para nele mostrar e dar todo meu amor, compaixão, auxílio e defesa, a ti e a todos vós juntos os moradores desta terra e aos demais amados meus que me invoquem e em mim confiem; ouvirei seus lamentos e remediarei todas as suas misérias, penas e dores, porque eu sou vossa piedosa Mãe... Filho meu, o mais pequeno, não é nada o que te assusta e aflige. Não se perturbe teu coração e não temais esta enfermidade nem outra alguma enfermidade ou angústia. Não estou eu aqui que sou tua mãe? Não está debaixo de minha sombra? Não sou eu tua saúde? Não estás por ventura em meu regaço? Quê mais necessitas?

Que nossa Mãe a Virgem de Guadalupe, Rainha do México, Imperatriz da América, e Generala da Resistência; continue esmagando diante de nós a cabeça da serpente infernal, e nos abençoe e nos proteja sempre.

---
Notas do tradutor:
* Pinta, Niña e Santa Maria: nome das três caravelas que acompanharam Colombo em sua descoberta. Juntas, as palavras formam a frase em espanhol equivalente em português à “Pinte a menina Santa Maria”;
* Ayate: vestimenta rústica indígena, feita com entrelaçamento de fibras vegetais de agave e outras plantas. Equivalente a um poncho.

Tradução: Grupo Dom Bosco 

Nenhum comentário:

Postar um comentário