Grupo Dom Bosco: Setembro 2012

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ELEIÇÕES: Três passos para escolher o candidato

Uma orientação clara, concisa e objetiva. Sem rodeios e palavreados vagos, como as diretrizes das dioceses e dos regionais da CNBB.

Por Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz



O primeiro passo é examinar o Partido a que ele pertence.
 
Os partidos que se dizem comunistas ou socialistas são incompatíveis com a Doutrina Social da Igreja:

“Socialismo religioso, socialismo católico são termos contraditórios: ninguém pode ser ao mesmo tempo bom católico e verdadeiro socialista” (Pio XI, Quadragesimo Anno, n.º 119).

“Entre comunismo e cristianismo, o Pontífice [Pio XI] declara novamente que a oposição é radical. E acrescenta não poder admitir-se de maneira alguma que os católicos adiram ao socialismo moderado” (João XXIII, Mater et Magistra, n.º 31).

“O erro fundamental do socialismo é de caráter antropológico. De fato, ele considera cada homem simplesmente como um elemento e uma molécula do organismo social” (João Paulo II, Centesimus Annus, n.º 13).

Eis a lista dos partidos brasileiros que se declaram comunistas ou socialistas:

Partido dos Trabalhadores (PT) – 13
Partido Comunista Brasileiro (PCB) – 21
Partido Popular Socialista (PPS), sucessor do PCB – 23
Partido Comunista do Brasil (PC do B) – 65
Partido da Causa Operária (PCO) – 29
Partido Democrático Trabalhista (PDT) – 12
Partido da Mobilização Nacional (PMN) – 33
Partido Pátria Livre (PPL) – 54
Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) – 50
Partido Socialista Brasileiro (PSB) – 40
Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) – 16
Partido Verde (PV) – 43

Nota: O PV não se declara socialista, mas em seu Programa defende o homossexualismo e a legalização do aborto. O PT, além de se declarar socialista, exige de seus candidatos um compromisso com o aborto.

Exclua, portanto, de seus candidatos, os números 13, 21, 23, 65, 29, 12, 33, 54, 50, 40, 16 e 43.

II. O segundo passo é examinar a atuação passada de seu candidato.

Se o seu candidato já foi parlamentar, verifique como foi seu voto em questões relativas à vida e à família.

02/03/2005: Deputados que votaram contra ou a favor do artigo 5º da Lei de Biossegurança, que permite a destruição de embriões humanos: http://www.providaanapolis.org.br/votobios.pdf

13/08/2008: Deputados que assinaram o Recurso 0201/08, de José Genoíno, solicitando que o projeto abortista PL 1135/91 não fosse arquivado, mas primeiro fosse apreciado pelo plenário da Câmara: http://www.providaanapolis.org.br/senaofoss.htm

28/05/2009: Deputados que assinaram a PEC 367/2009, pretendendo dar um terceiro mandato (pró-aborto) ao presidente Lula: http://www.providaanapolis.org.br/prolongab.htm

19/05/2010: Deputados que votaram contra o Estatuto do Nascituro na Comissão de Seguridade Social e Família: http://www.providaanapolis.org.br/meandros.htm

III. O terceiro passo é verificar o compromisso do candidato para o futuro.

Há uma lista de candidatos que se comprometeram a defender a vida em http://www.brasilsemaborto.com.br/?action=campanha&cache=0.1641827216371894
Mas atenção: só devemos dar o terceiro passo depois de ter dado os dois primeiros.

Não adianta, por exemplo, que um candidato pertencente a um partido comprometido com o aborto, venha depois assinar um compromisso pela vida.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Sobre o uso virtuoso da internet - Parte IV

4-    Acesso livre à internet, aos teus filhos não deixarás.

Não chamaríamos de “inconsciente” ou “louco” ao pai de família que deixa a seus filhos brincar com uma espingarda carregada? É muito pior o que fazemos –posto que se trata d’alma- se deixamos a nossos filhos navegarem livremente na web! A qualquer momento podem cair espiritualmente mortos.

Por isso tem-se que ter muito cuidado e se devem seguir as seguintes regras:
·         Os filhos menores não podem ter acesso livre à internet, seja para estudo, divertimento, etc. Deixar a eles navegarem na Rede sem controle consiste em imprudência grave.

·         Em casa não se deve fazer conexões sem fio, wi-fi e telefones celulares conectados a internet. Recordemos um episódio da vida de Santo Antônio eremita: freqüentemente lhe aparecia o demônio sob distintas formas sensíveis, convidando-o à gula e à sensualidade. Hoje em dia, o espírito das trevas já não necessita dar-se a tanto trabalho: com o celular conectado à internet, todos tem seu diabinho no bolso! Os pais responsáveis não podem deixar que seus filhos convivam com semelhante perigo.

·         Até os doze anos uma criança não tem porque usar a internet. Recém chegado à adolescência poderá o iniciar progressivamente ao uso virtuoso do computador, mas sempre na presença de um adulto.

·         Mas pai, e o facebook? Os pais também tem o grave dever de controlar as amizades de seus filhos. Quantas más amizades se hão travado na internet por meio das chamadas redes sociais! E nem falemos das imprudências cometidas pelos pequenos, os quais revelam dados privados a completos desconhecidos, cujas conseqüências todos bem conhecemos: raptos, violações, assaltos, roubos, etc.

·         Para limitar e controlar o acesso ao computador se pode utilizar o sistema de senhas, ainda que não se deve confiar totalmente na eficiência do mesmo: recordo o caso de um pequenino de dez anos que me ensinou como burlar a senha do computador familiar...

Ver partes I, II e III.

domingo, 2 de setembro de 2012

Sobre o uso virtuoso da internet - Parte III

            3 - Do divertimento cibernético te absterás.

O mundo de internet é realmente fascinante! Se pode encontrar facilmente tantas coisas. Daí que muitos a usem como divertimento, para “matar o tempo” ou para brincar. Porém não nos esqueçamos nunca do perigo inerente da navegação cibernética. Com uma ocasião de pecado não se brinca! Temos numerosos motivos para não utilizar internet como passa-tempo:

Já dissemos, mas devemos insistir: navegar na web é uma atividade perigosa para a alma, que quase sempre estimulará pelo menos uma das três concupiscências.

  • A SOBERBA DA VIDA: “Sereis como deuses” dizia sempre a serpente à Eva, para convidá-la a comer o fruto proibido. Com internet de certa maneira se nos propõe o mesmo: conhecer tudo como Deus, julgar tudo como Deus. Ademais nos dá a possibilidade de alçar a voz no mundo inteiro. Esta impressão de poder e juízo absoluto alimenta nossa soberba e vanglória.
  • A CONCUPISCÊNCIA DOS OLHOS: A web nos apresenta todos os objetos possíveis e imagináveis, fomentando assim a ganância, com a que rendemos culto ao deus Mammón...
  • A CONCUPISCÊNCIA DA CARNE: Segundo as estatísticas oficiais, 12% dos sites no mundo são pornográficos. Nem falaremos dos abundantes vídeos, fotos, imagens, piadas ou publicidades que estimulam a sensualidade.
Imaginando que (milagrosamente) alguém possa ficar a salvo dos estímulos da concupiscência, muito facilmente se chega a perder tempo, em detrimento dos deveres do dia-a-dia.

A navegação web exerce uma forte atração, que faz prolongar –e muitas vezes esquecer- os deveres. Se começa navegando para divertir-se um pouco e se termina deixando os deveres, hipnotizado pela internet. Os casos abundam: quantas donas-de-casa se atrasam em suas tarefas ao olhar as últimas atualizações do Facebook?... quantos empregados perdem tempo durante o trabalho buscando noticias ou resultados de futebol?... quantas crianças ficam sem aprender sua lição porque estavam num chat com os amigos?... quantos pais de família descuidam da atenção devida à sua esposa e seus filhos porque estão jogando online?... Todos se sentarão ante à tela dizendo-se: “cinco minutos, e nada mais!” E assim passam uma hora, e seguem navegando...

Provoca verdadeiros vícios. No ano 2000 se criou uma seção no hospital parisiano (Centro Médico Marmottan) para casos de vícios cibernéticos! Nela, se diagnosticaram quatro grandes categorias de “ciberdependencia”: gasto compulsivo em sites comerciais ou jogos com dinheiro; vicio em jogos online; sexualidade patológica, chamada vicio em “ciber-sexo”; e dependência nas conhecidas redes sociais (Msn, Facebook, Twitter, fóruns, etc).

Estas novas drogas apresentam sintomas comuns com as drogas clássicas: aumento progressivo do tempo que a elas se dedica; isolamento progressivo da vida familiar (inversão do ciclo noite/dia, refeições em forma particular, relações conflituais) e do trabalho/estudo (ausência progressiva); mentiras (sobre o tempo passado na internet); desejo de doses cada vez mais fortes para chegar às mesmas sensações (cenas eróticas cada vez mais obscenas, necessidade de jogar com mais dinheiro, de encontrar jogos cada vez mais sofisticados, etc.); e por fim, síndrome de falta e de frustração em caso de não poder estar conectado.

Finalmente, provoca a dispersão da mente e faz mais difícil a vida de oração. A acumulação de conhecimentos superficiais e de imagens inúteis (se não perigosas) dificultam a elevação da alma até o Bem espiritual que é Deus. Um paroquiano me afirmava que sua vida espiritual começou a progredir realmente quando limitou o uso da internet ao necessário. Assim é... Os mestres da vida espiritual certificam que a mortificação da imaginação e da memória é absolutamente exigida para conquistar uma vida espiritual mais profunda. Por isso se deve afirmar que a curiosidade cibernética, pela agitação interior que suscita, é uma verdadeiro obstáculo para a vida de oração.

Veja as partes I e II.